quarta-feira, 6 de maio de 2009

(...)

O que é que fazemos quando a vida não corresponde aos nossos sonhos? Aos objectivos que para nós traçámos? O que fazemos com sentimentos como falha, inoperância, insucesso, desprezo, desadequação, desperdício nos inundam a mente ao pensarmos na nossa vida profissional? Aliás, chamar-lhe "vida profissional" é, por si só, uma mentira, pois não é profissional e quase não é vida, mas tão-só uma forma de sobrevivência que nem chega para nos sustentar. Como fazer as pazes connosco quando sabemos que foram, essencialmente, as nossas escolhas que nos conduziram a onde estamos. E, apesar de sabermos que não havia consciência do erro, talvez alguma pesquisa, alguns conselhos assimilados e não apenas ouvidos, tivessem feito a diferença. E, pior do que a consciência do passado, a incerteza do futuro. Como tentar mudar o curso? Como descobrir um novo caminho, no meio da confusão? Em que medida o que sabemos serve para alguma coisa? E, se servir, serve para quê? Haverá coragem para novos passos? E, além da coragem, haverá tempo para dar esses passos? E, voltamos ao princípio, passos em que direcção?

7 comentários:

Anónimo disse...

Se as coisas não estão a correr bem não desanime.
Eu também já fui emigrante na Holanda e os primeiros tempos não foram faceis. A lingua pode ser um problema porque não se inscreve num curso para estrangeiros,penso ser um passo importante.

Goldfish disse...

Já fiz um curso de holandês - se bem que admito não foi muito útil, era pouco intensivo e esta língua não é propriamente pêra doce... O grande problema é que não é só aqui que as coisas correm mal, mas há muito tempo. Obrigada pelas palavras, de qualquer modo.

momentU disse...

quando a vida não corresponde aos nossos sonhos, encontramos novos sonhos!

bem sei que não tem sido fácil e que não está nas tuas mãos mudar o curso das coisas, nem sequer é do teu feitio queixares-te muito, mas quando a vida nos prega rasteiras a única coisa que está ao nosso alcance é traçarmos um novo plano, definir um caminho novo para nós, agora com muito maior consciência do que nos fará felizes.

porque não aproveitar os próximos dois/três anos para pôr em prática um novo plano de carreira? e se isso implicar mais uns anos de estudo, so what?

Goldfish disse...

Ya, acho que é isso mesmo que vou ter de fazer... um novo começo, fresquinho e mais promissor. Podes servir-mo numa bandeja, já agora com uma bebida e um pratinho de tapas? :)

Andorinha disse...

Olá :) Andei a deixar comments com o nome do blog que apoio duns amigos meus (Prédios que Falam), peço desculpas, sou uma distraída.
Já sei que me vais dizer com o mal dos outros posso eu bem, mas aquilo porque estás a passar é muito natural para nós Portugueses que vimos para a Holanda cheios de sonhos ... com um curso de Letras ou Direito. Não é fácil, mas não desanimes.
Tenho vários amigos na tua situação. Tiveste azar na data da mudança porque chegaste na altura em que estes tipos tão a passar por uma crise. Como não estão habituados como os portugueses a uma crise, lidam com cortes de pessoal de forma diferente.
Soluções! A solução passa por: concorreres a um PhD numa Universidade, inscreveres-te num MBA, ou começares a fazer um curso novo do zero. Enquanto isso vais concorrendo a outras empresas e ainda tens estágios integrados. Se fores pro PhD podes sempre dar aulas.
De momento é o que se me ocorre e são as soluções que tenho visto os meus amigos adoptar. Todas elas requerem apoio dos conjuges/namorados/amigos, principalmente a nível financeiro pois é mais um custo inicialmente. Mas é possível! Não podes é continuar em casa sem fazer alguma coisa, senão acabas deprimida.
Outra coisa que podes fazer é abusar da net e abrir um negócio online. Pensa no que mais amas fazer e potencia-o, não cruzes os braços! Pesquisa na net, navega, sê curiosa e arrojada, ganha forças e vê possibilidades. Esquece a língua holandesa! Aqui há muitos institutos europeus. Ah, e não te limites a cidades, nem mesmo a País. Se na Bélgica encontrares alguma coisa podem sempre mudar-se pra uma cidade intermédia e embarcar numa nova aventura.
Boa sorte! Força miúda, vai correr bem!

Goldfish disse...

Bem, desse entusiasmo é que eu estou a precisar! Obrigada pelos conselhos, acho que vou acabar mesmo por tentar estudar de novo. Não é que me custe a perspectiva de voltar a pegar em livros (obrigatórios e,por vezes, chatos), mas o dinheiro faz-me falta. Odeio ser sustentada! Vou tentar pegar no touro pelos cornos, como se costuma dizer.
Mais uma vez obrigada pela força e pelos conselhos!

P.S. - o que me animava era ter uma Petzi... infelizmente o apartamento tem carpete! :(

Andorinha disse...

Posso-te emprestar a minha de vez em quando :D
O entusiasmo é de quem se revitaliza várias vezes, agora só tens de te revitalizar também e ver portas abertas em vez de fechadas. Força, nada de desistir!