quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Estratos sociais

.
A divisão social da Amesterdão do despontar do séc. XXI pode ser medida pela forma como a mobília de casa de cada um é transportada entre a rua e a própria casa - sendo que por casa estou a referir-me a apartamentos e, em especial, aos que vivem acima do 1º piso. Esta divisão peculiar da sociedade tem limites de aplicabilidade bastante estreitos, sendo que não fará qualquer sentido, por ex., em Portugal, por motivos que serão por si só óbvios, quando parar a lenga-lenga e começar finalmente a explicar a dita teoria. Então, na sociedade Amsterdamer do início deste século o povo iça a mobília até à janela através do sobejamente conhecido método da corda, do gancho e força braçal. A burguesia, mais dada a luxos, contrata empresas que alugam uma espécie de gruas com uma plataforma elevatória que transportam a mobília até à dita janela. A nobreza, esse estrato tão mais superior... tem elevador. Logo, a mobília entra pela porta.
.

6 comentários:

Andorinha disse...

Sou nobreza! iuuuiiiuuu!! :))))

Antígona disse...

Pois...aqui há muito povo mas poucos a puxarem corda :):):) é, digamos assim, um povo a atirar p'ró burguês...

Rita Maria disse...

Muito bem observado.

(eu entretanto já decidi que só me mudo outra vez quando tiver dinheiro para mandar fazer as mudanças. Quero daquelas de sonho, tudo aparece direitinho no outro lado e eu só tenho de, se estiver numa fase criativa, mudar a ordem dos livros na estante)

Goldfish disse...

Sorry, Andorinha, mas isto só se aplica em Amesterdão, parte velha. :)

A diferença, Antígona, é que aqui ainda há quem viva (e são muitos) no equivalente à baixa pombalina e bairros históricos, cujos prédios têm uma escada tão estreita que nem dá para pôr um elevador liliputiano no "buraco" formado pela espiral da escadaria!

Isso é que é nobreza, Rita.

Rita Maria disse...

Sim, mas é só paleio, a última foi mesmo de t´´axi de malas às costas e até já fiz umas de transportes públicos.

PS: Por acaso quando estivemos em Amsterdao também me perguntei várias vezes como entrariam os móveis, mas entretanto fiquei esclarecida ;)

Goldfish disse...

Cruzes credo, transportes públicos?!? Depois da minha experiência em Berlim espero que não tenha sido de metro em época de calor...