sábado, 17 de fevereiro de 2018

Sem título

.
Não sei quantos miúdos mortos, mortos a tiro na sua escola, dentro de salas de aula, mortos a tiro dentro das suas salas de aula, com professores a porem-se à frente de uns poucos, professores mortos a tiro para protegerem uns poucos, mortos a tiro à frente desses poucos, mortos por um miúdo, um ex-aluno, um ex-colega. As razões da liberalização das armas nos  EUA podem ser históricas, conhecidas, mas não conseguem ser racionais. Não há um pingo de lógica em haver miúdos a colocar fotos com um arsenal no Instragram e acharem normal. E aquele país vai ter de chegar um dia a esta conclusão. Quantod serão mortos a tiro em salas de aulas, em concertos, no meio da rua, até lá?
.

2 comentários:

Ka disse...

Quando a lógica para combater o problema é dar armas aos professores para defender os alunos, está tudo dito... :(

Clau disse...

Num mundo cada vez mais imparcial, louco, sem fronteira, limites, e, a meu ver, com uma população humana a aproximar-se cada vez mais rapidamente da berma do precipício, acho que mais massacre, atentado, acidente, guerra, é apenas mais uma vírgula, mais uma voltinha no carrossel. É triste, mas na verdade é esse o mundo que temos e em que vivemos. Num mundo de loucos.