domingo, 16 de janeiro de 2011

Notícias desactualizadas

.
Foi preciso um homossexual assumidíssimo* ser assassinado para se ver (bem) quão homofóbico este país ainda é.
.
* ia pôr "bicha", como creio que muitas vezes se tratam entre si, mas preferi esperar pelo rodapé para não ferir susceptibilidades; ou como o politicamente correcto chegou ao aquário.

7 comentários:

Gi disse...

É bem verdade, Goldfish.

Antígona disse...

É verdade! Bolas!...

Blondewithaphd disse...

Eu sei lá se é homofóbico ou não. Que é doido, é.

Tuxa disse...

Podes crer, eu a 2000 kms de distancia (onde presumo so ouvir/ler metade dos disparates) até fico arrepiada com tanta alarvidade!!!

Goldfish disse...

Portugal pode estar doido, Blonde, mas homofóbico também está...

Nem te passa pela cabeça, Tuxa, ouvir programas tipo os da manhã é coisa para dar um ataque a um coração de leão.

Clau disse...

Não não!!! A diferença está essencialmente aí. Ser homossexual não tem para mim o mesmo peso do que ser-se "bicha" ou "larilas"...O primeiro é o que é, não quer impôr a sua "diferença" a ninguém, muito pelo contrário, quer que a sociedade o aceite como é, sem preconceitos, e integrar-se na mesma. O 2º opta por marcar a diferença, muitas vezes de forma provocatória. Não me agrada não concordo. Sou amiga de gays, mas quando passam ao circuito de "paneleiros" levam um tabefe que colocam-se no seu devido lugar. E não sou homofóbica por isso, nem admito que assim me o chamem!

Goldfish disse...

Para mim, dizer maricas, paneleiro, homossexual ou gay é apenas uma questão de semântica. E os casalinhos pegajosos tanto me irritam se são homo ou heterossexuais, dispenso pornografia ao vivo. De qualquer forma, o que tenho ouvido sobre o caso demonstra claramente que a sociedade não é tolerante e, portanto, homofóbica. Ninguém tem de se dar com ninguém de quem não goste, seja por que motivos for, mas usar a escolha sexual de alguém como justificação ou desculpa para um crime é ser-se homofóbico.